News

Ataques de malware contra empresas diminui 22%

Embora a proporção de ataques de malware nas organizações tenha diminuído, os cibercriminosos têm apostado cada vez mais nos dados, levando a um aumento de ataques por acesso remoto

09/01/2022

Ataques de malware contra empresas diminui 22%

Especialistas da Positive Technologies analisaram o panorama da ameaça à cibersegurança no terceiro trimestre de 2021 e encontraram uma diminuição no número de ciberataques únicos. No entanto, tem havido um aumento na proporção de ataques contra indivíduos, e também um aumento de ataques que envolvem malware de acesso remoto.

O número de ataques diminuiu 4,8% face ao trimestre anterior. Os investigadores acreditam que uma das principais razões para a mudança é a diminuição dos ataques de ransomware e o facto de alguns dos principais players terem saído de cena. É também por isso que a proporção de ataques destinados a comprometer computadores, servidores e equipamentos de rede corporativa diminuiu de 87% para 75%.

"Este ano vimos o pico dos ataques de ransomware em abril, quando foram registados 120 ataques. Houve 45 ataques em setembro, menos 63% do que em abril. A razão é que vários grandes atacantes de ransomware pararam as suas operações, e as forças policiais começaram a prestar mais atenção ao problema dos ataques de ransomware", afirma Ekaterina Kilyusheva, diretora de Pesquisa e Análise da Positive Technologies.

A Positive Technologies aponta ainda para uma tendência de "rebranding" dos cibercriminosos que utilizam o ransomware: alguns operadores estão a reconsiderar a sua preferência pelo esquema ransomware-as-a-service (RaaS), que acarreta certos riscos de parceiros pouco fiáveis.

Ekaterina Kilyusheva explica que "previmos que um dos possíveis cenários de transformação de ransomware seria que os grupos abandonassem o modelo RaaS na sua forma atual. É muito mais seguro para os operadores de ransomware contratar pessoas que irão entregar malware e procurar vulnerabilidades como "funcionários" permanentes. Será mais seguro para ambas as partes, uma vez que podem ser criadas formas mais organizadas e eficientes de cooperação tudo-em-um. No terceiro quarto, vimos os primeiros passos nesse sentido".

Pesquisas da Positive Technologies mostram que, embora a proporção de ataques de malware nas organizações tenha diminuído 22%, o apetite dos atacantes por dados também levou a um aumento no uso de cavalos de troia de acesso remoto. Nos ataques a organizações, esta proporção cresceu de 17 para 36%, enquanto em ataques contra indivíduos, os troianos de controlo remoto compunham mais de metade de todos os malwares utilizados.

A análise da Positive Technologies mostra que a proporção de ataques realizados por grupos APT atingiu 5% do total de ataques contra utilizadores. Isto deveu-se, provavelmente, a numerosas campanhas de phishing e de inteligência contra funcionários de agências governamentais, empresas industriais e trabalhadores dos media. Em comparação com o mesmo período do ano passado, a proporção de ataques de engenharia social contra indivíduos aumentou de 67% para 83%. Além disso, os criminosos estão constantemente a melhorar técnicas maliciosas, por exemplo, enganando as vítimas a chamar centros de chamadas fraudulentos.

 


NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT SECURITY Nº3 Dezembro 2021

IT SECURITY Nº3 Dezembro 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.