News

Europol olha para 2021 como ano de luta contra cibercriminalidade

A organização europeia destacou as ações que desmantelaram o botnet Emotet, o trojan Shield/Greenlight e a utilização ilegal de comunicações encriptadas

26/12/2021

Europol olha para 2021 como ano de luta contra cibercriminalidade

A Europol, que, entre centenas de operações, tem vindo a apoiar o combate ao cibercrime na Europa, através do Centro Europeu da Cibercriminalidade (EC3), fez uma revisão de 2021. O EC3 tem dado um contributo significativo para a luta contra o cibercrime desde a sua fundação na Europol em 2013 e visa reforçar a resposta da aplicação da lei ao cibercrime na UE e ajudar a proteger os cidadãos, as empresas e os governos europeus da criminalidade.

Num primeiro plano, a ação do EC3 foi notória no apoiou a autoridades policiais e judiciais em todo o mundo na captura de um dos botnets mais impactantes da última década, o Emotet. Para combater o botnet, as autoridades policiais ganharam controlo da infraestrutura e encerraram-na do interior, uma “abordagem nova e única” para intercetar este tipo de cibercrime.

Também o Centro Europeu da Criminalidade Grave e Organizada da Europol, tem sido, também, um apoio na sua luta contra redes criminosas internacionais envolvidas em droga, armas e explosivos, propriedade e crime ambiental. O Centro apoiou algumas das principais operações da Europol em 2021, que visaram bloquear a utilização ilegal de comunicações encriptadas.

Neste âmbito, a Europol destacou a Operação Trojan Shield/Greenlight. A operação, de ampla cooperação estratégica internacional, envolveu uma empresa de dispositivos encriptados fictícia ANOM, que cresceu para servir mais de 12 mil dispositivos encriptados e mais de 300 sindicatos criminais que operavam em mais de cem países. Como resultado da operação, o FBI e 16 países participantes, apoiados pela Europol e pela DEA, conseguiram explorar a informação dos 27 milhões de mensagens obtidas, o que resultou em 800 detenções e na apreensão de drogas ilegais, armas de fogo e mais de 48 milhões de dólares em vários tipos de moedas e criptomoedas a nível global. 

O Centro apoio, ainda, investigadores na Bélgica, França e Holanda no fim do uso de comunicações encriptadas Sky ECC por cibergrupos em larga escala. Ao desbloquear, com sucesso, a encriptação da Sky ECC, as informações adquiridas forneceram detalhes sobre atividades criminosas em vários Estados-membros da UE, e não só, que têm ajudado a alargar as investigações e a resolver a criminalidade organizada grave e além-fronteiras. 

Além disso, é de ressalvar a importância do Serious and Organised Crime Threat Assessment (SOCTA), nota a Europol, uma ferramenta de análise detalhada da ameaça de crime grave e organizado que a UE enfrenta. O relatório SOCTA, desenvolvida pelo Centro Operacional e de Análise da Europol, é um documento orientado para o futuro, que avalia as mudanças no cenário do crime sério e organizado, fornecendo informações para os praticantes, decisores e o público em geral. O relatório de 2021 constatou que cerca de 40% das redes criminosas ativas na UE estão envolvidas no comércio de drogas ilegais e que cerca de 60% utilizam a violência como parte das suas empresas criminosas.

Entre os principais destaques, a organização relembra, também, o apoio à Guarda Civil espanhola no desmantelamento de uma rede criminosa que traficava cocaína, levando à prisão de 29 pessoas, e o apoiou à polícia finlandesa no desmantelamento de uma célula de extrema direita na Finlândia, com um total de cinco detenções. 


NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT SECURITY Nº18 Junho 2024

IT SECURITY Nº18 Junho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.