Threats

Microsoft destaca aumento de ciberataques a emails empresariais

Entre 2019 e 2022, os ataques de comprometimento de emails empresariais aumentaram 38%, de acordo com o relatório Cyber Signals da Microsoft

22/05/2023

Microsoft destaca aumento de ciberataques a emails empresariais

A Microsoft atualizou o Cyber Signals, a quarta edição do seu relatório de cibersegurança, onde, através dos insights de mais de oito mil especialistas da Microsoft, e uma análise a 43 mil milhões de sinais de segurança, faz uma análise à crescente ameaça do comprometimento de emails empresariais.

De acordo com o relatório, a Microsoft identificou novas ofertas de Cybercrime-as-a-Service (CaaS), incluindo o fornecimento de credenciais e o endereço IP das vítimas, que permitem aos cibercriminosos lançar facilmente campanhas de comprometimento de emails empresariais que são mais difíceis de detetar e mitigar.

O Federal Bureau of Investigation (FBI) recebeu 21.832 queixas de comprometimento de emails empresariais em 2022, com perdas de mais de 2,7 mil milhões de dólares. Entre abril de 2022 e abril de 2023, a Microsoft Threat Intelligence detetou e investigou uma média de 156 mil ataques de comprometimento de emails empresariais por dia, tendo o número de tentativas aumentado 38% nos últimos quatro anos (entre 2019 e 2022).

Entre as principais táticas de phishing utilizadas, e apesar de a Unidade de Crimes Digitais da Microsoft, entre maio de 2022 e abril de 2023, ter bloqueado 417.678 URL como phishing, está o lure, em que utilizam truques para atrair a atenção dos utilizadores para coagi-los a realizar uma determinada ação que permita roubar as suas informações (62,35%), o payroll, em que se fazem passar pelos colaboradores e pedem alterações aos dados bancários (14,87%), e o invoice, em que se fazem passar por um colega ou fornecedor para convencer o utilizador a pagar uma fatura falsa ou uma fatura legítima para uma conta falsa (8,29%).

Embora as implicações financeiras destes ataques sejam significativas, os danos mais complexos e a longo prazo podem incluir o roubo de identidade, se as informações de identificação pessoal forem comprometidas, ou a perda de dados confidenciais, se as mensagens sensíveis ou a propriedade intelectual forem expostas numa rede maliciosa.

Tendo em conta a própria natureza dos ataques, os principais alvos do comprometimento de emails empresariais são executivos e outros líderes, gestores financeiros e os departamentos de recursos humanos das empresas com acesso aos registos dos colaboradores, como números da segurança social, declarações fiscais ou outras informações pessoais. Novos colaboradores, que podem estar menos propensos a verificar solicitações de email desconhecidas, também estão entre os principais alvos.

O Cyber Signals também regista uma tendência significativa na utilização de plataformas como o BulletProftLink, um serviço conhecido por criar campanhas de email maliciosas em escala industrial. A BulletProftLink vende um serviço end-to-end que inclui modelos, hosting e serviços automatizados para comprometer emails empresariais, sendo que os adversários que utilizam este CaaS recebem as credenciais e o endereço IP da vítima.

Manuel Dias, NTO da Microsoft Portugal, destaca que “embora as organizações estejam há alguns anos a gerir forças de trabalho totalmente remotas ou híbridas, ainda é necessário repensar a conscientização sobre segurança na era do trabalho híbrido. Como os colaboradores estão a trabalhar com mais fornecedores e contratados, recebendo mais emails que 'surgem pela primeira vez', é imperativo estar consciente do que estas alterações nos ritmos de trabalho e correspondência significam para a superfície de ataque”.

 


NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT SECURITY Nº18 Junho 2024

IT SECURITY Nº18 Junho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.